Estragos causados pelas chuvas deixam Mariana em estado de emergência

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

As autoridades recomendam às pessoas que esperem a intensidade das chuvas diminuírem para viajar.

Estamos em um período em que um alto volume de chuvas atinge Minas Gerais trazendo à cidade muitos estragos causados pela intensidade e frequência que as chuvas vieram. Houveram desabamentos de encostas e aumento no nível das águas dos rios que cortam a cidade e os demais distritos fazendo com que todo território marianense fosse afetado.

A Prefeitura de Mariana, através do prefeito Juliano Duarte e as demais secretarias, cada uma em sua especialidade, empenhadas e engajadas a resolver os chamados da população, ao longo do final de semana, atenderam centenas de pontos afetados. Todas as equipes, de vários setores, atuaram 24h em pontos de deslizamentos e intervenções voltadas a obras. Os trabalhos foram iniciados assim que permitidos pela Defesa Civil. Em alguns casos, a intervenção com o solo ainda saturado, poderia piorar ainda mais a situação. A prioridade eram as famílias afetadas e a garantia da segurança dos cidadãos que estavam em situação de risco. Neste momento é imprescindível seguir todas as orientações dos órgãos de segurança. Os agentes da Defesa Civil, Guarda Municipal, Corpo de Bombeiros Civil, Polícia Militar e equipe de Contingência estiveram unidos e atentos para realizar o resgate e apoiar nos demais suporte.

O distrito de Mainart, comunidade mais afetada, ficou debaixo d’água, fazendo com que moradores deixassem suas casas e passassem a noite no abrigo improvisado, assim como em Ribeirão do Carmo, onde as aguas do Rio também invadiram a comunidade trazendo transtornos aos moradores. Os dois distritos, assim como todos os outros distritos afetados tiveram o apoio e suporte da prefeitura.

No Centro de Mariana e em bairros como Colina de Baixo, Barro Preto e Santo Antônio o estrago também foi grande. Setenta metros de pista da MG–262 cederam. A estrada, que liga Mariana a cidade a Ponte Nova ficou completamente destruída na altura do Trevo do Furquim. A Prefeitura de Mariana emitiu um alerta avisando que a rodovia está completamente fechada nos dois sentidos e que os motoristas devem evitar o local. O município alertou ainda que, em caso de ocorrências, a população deve fazer contato pelos telefones 153 e 199. O prefeito Juliano Duarte orientou os motoristas a fazerem desvio pelos municípios de Acaiaca ou Diogo. Segundo ele, já foi feito contato com o DER para que seja feito o restabelecimento da via.

Outros dois trechos de acesso entre Mariana e Ouro Preto foram prejudicados. Por fora, devido a rachadura que tomou conta de um pista e parcialmente da outra, foi parcialmente interditada. Por dentro o acesso foi totalmente bloqueado. Motoristas usam um acesso alternativo que também não apresenta boas condições. O Prefeito Juliano explicou as intervenções feitas nos trechos. “Estamos intervindo na Rodovia 356 para evitar mais infiltrações. Desde a abertura da via, que está parcialmente interditada, realizamos contato com o DNIT. Como não recebemos retorno e previsão, e mesmo não sendo competência do município, agimos. Além da massa asfáltica para retardar a infiltração das chuvas, estamos trabalhando no terreno ao lado, que servirá de acesso. Nossos técnicos estão monitorando o local de hora em hora. O trânsito permanecerá em apenas uma via e em caso de mudanças do quatro atual, agiremos novamente” pontuou.

 As autoridades recomendam às pessoas que esperem a intensidade das chuvas diminuírem para viajar de carro ou ônibus. “Só viaje se tiver algum compromisso inadiável. Estamos fazendo de tudo para garantir a segurança de todos”, afirmou o tenente André Muniz, chefe de Comunicação Organizacional da Polícia Militar Rodoviária de Minas Gerais.

Em suas redes sociais, Juliano Duarte, prefeito de Mariana emitiu um comunicado a respeito de um auxílio emergencial que será criado para amparar as famílias atingidas. “136 famílias marianenses receberão o auxílio emergencial de R$ 3 mil para cobrir as perdas materiais. Os núcleos familiares englobam 635 pessoas que foram duramente afetadas. Queremos fornecer o básico e essencial para que possam reconstruir e continuar a viver com dignidade. Somos uma gestão humana. Nos preocupamos com a vulnerabilidade e não mediremos esforços para proporcionar esse amparo. Foram dias difíceis. 96 horas de muito trabalho para que a nossa população mais afetada sofresse o mínimo. Equipes de todas as secretarias empenhadas, trabalhando madrugada a fora, com agilidade e coração para levar amparo e conforto as nossas famílias. Espero receber o apoio da Câmara neste projeto e conto com os colegas vereadores para que consigamos realizar o repasse o mais rápido possível. Ainda estamos trabalhando e não vamos parar até que toda nossa população esteja amparada e segura”, finalizou.