Governador entra com pedido de liminar no TJMG para anular ato que libera votação do IPVA

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Se a liminar for aceita, a votação do projeto do deputado Bruno Engler (PRTB) que congela a base de cálculo a nível de 2020, pode ser anulada se de fato ocorrer.

Foto: Agência Pará

O governo de Romeu Zema (Novo) informou na manhã desta quarta-feira (15) que entrou com um pedido de liminar no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) para anular os atos do presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), Agostinho Patrus (PV), que permitiram pautar o projeto que congela o IPVA 2022 a níveis de 2020 sem ter que votar a proposta de adesão ao Regime de Recuperação Fiscal, que estava trancando a pauta.

.

“Na avaliação jurídica da AGE, a Assembleia descumpriu a Constituição do Estado e o Regimento Interno da ALMG  ao permitir a apreciação de outras propostas legislativas antes da votação do projeto de Recuperação Fiscal. Tanto o artigo 69º de Constituição do Estado quanto o artigo 208º do Regimento da ALMG preveem que os projetos em regime de urgência a pedido do governador deverão ‘ser incluídos na ordem do dia, sobrestando-se a deliberação quanto aos demais assuntos”, disse nota divulgada pelo governo de Minas.

.

Se a liminar for aceita, a votação do projeto do deputado Bruno Engler (PRTB) que congela a base de cálculo a nível de 2020, programada para começar às 10h  desta quarta-feira (15) pode ser anulada se de fato ocorrer.

.

O governo Zema disse que estuda outras medidas que não dependem da aprovação do projeto. “Diante desse impasse, o Governo de Minas reitera seu compromisso em garantir que o cidadão mineiro não seja impactado pelo reajuste expressivo do IPVA. Por isso, os técnicos do Estado estudam outras alternativas administrativas para que a alteração do cálculo do IPVA possa ser realizada mesmo sem uma definição da ALMG”, disse o governo.

.

Fonte: https://www.otempo.com.br/politica/zema-entra-na-justica-para-anular-ato-que-libera-votacao-do-ipva-1.2584301

Foto: Agência Pará