Orquestra OP irá celebrar 30 anos do disco Nevermind, do Nirvana

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Apresentação será transmitida ao vivo em 24 de setembro, pelo YouTube

Do pop do A-Ha, ao rock dos Stones, passando pelo jazz de Duke Ellington, a temporada da Orquestra Ouro Preto apresenta toda excelência e versatilidade do grupo mineiro, que passeia por ritmos e pela história da música de diferentes épocas. A próxima parada é o rock grunge e impactante dos anos 1990. Para celebrar os 30 anos de um dos álbuns mais emblemáticos de todos os tempos, o “Nevermind”, do Nirvana, a Orquestra estreia repertório repleto de guitarras distorcidas e surpresas. O concerto, que mistura música e intervenções cênicas, será transmitido ao vivo pelo canal do YouTube, dia 24 de setembro, sexta-feira, às 20h30. 

E a escolha da data não foi por acaso. Há exatos 30 anos, no dia 24 de setembro de 1991, foi lançado o disco que mudou a cena musical da época. O álbum conquistou o título de símbolo da cultura pop do século XX com potentes riffs de guitarra, que até os dias de hoje influenciam a música mundial. Com “Nevermind”, o grunge, que tem origem no punk, no metal e no hard rock, ganhou expressão representando a cultura, a música e a moda de toda uma geração. 

O Instituto Cultural Vale patrocina essa iniciativa em mais uma ação que visa potencializar a cultura, democratizar o acesso e fomentar as múltiplas expressões artísticas. Para o Instituto, a cultura é instrumento de transformação social, capaz de gerar impacto positivo na vida das pessoas e construir um legado para futuras gerações. “Temos enorme orgulho de patrocinar a Orquestra Ouro Preto. Ao longo desta parceria de sucesso e a cada novo concerto, seguimos lado a lado na certeza de que a música não tem fronteiras e abre caminho para novas experiências culturais”, diz Christiana Saldanha, gerente do Instituto Cultural Vale. 

A ideia de orquestrar “Nevermind” partiu do Maestro Rodrigo Toffolo, que é fã do disco desde os tempos em que era apenas um jovem estudante de violino. “‘Nevermind’ vai muito além da música, representou toda uma geração que precisava extravasar seus sentimentos. Três caras fizeram aquela barulheira toda, que nada mais é que a voz do jovem daquela época. Acho a música deles muito impactante”, conclui o regente.             

Com arranjos de Leonardo Gorosito, o concerto promete releituras de alto nível para sucessos como “Smells like teen spirit”, “Come as you are”, “Lithium” e “In bloom”. A ópera-grunge será tocada e encenada em 13 atos, incluindo todas as faixas do álbum. Os acordes de violinos e violoncelos irão se misturar ao som da bateria, guitarra e baixo de um rock baseado em contrastes dinâmicos, entre versos calmos e barulhentos, e refrões pesados, característicos da música do Nirvana