Alunos de Paracatu de Baixo criam podcast sobre isolamento social e aulas online

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

O podcast pode ser ouvido no perfil do programa na plataforma MixCloud.

Nos primeiro semestre de 2021, alunos do 6o ao 9o ano da Escola Municipal de Paracatu de Baixo (EMPB) que participam de projetos do Programa de Extensão Sujeitos de Suas Histórias, do curso de Jornalismo da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop), produziram, orientados por bolsistas e professores, um podcast que uniu histórias pessoais e ficção.

Desde março, as alunas do curso de Jornalismo, Lavínia Torres e Victória Oliveira, bolsistas dos projetos Memórias do Trauma e Identidades, afetos, cotidiano e memória em Mariana, respectivamente, que atuam junto à escola desde 2016, desenvolveram oficinas remotas para a produção do podcast.

Nos encontros virtuais semanais, que contavam com a presença dos professores responsáveis pelos projetos, Karina Gomes Barbosa e André Carvalho, e também da professora de Ciências da EMPB, Luciana Drummond, foram apresentados conteúdos teóricos, perpassando temas como história da rádio e linguagem sonora, e atividades práticas, que incluíam a gravação dos materiais e encontros que funcionaram como reuniões de pauta.

Depois da escolha do tema do podcast em conjunto, as oficinas foram divididas em sessões semanais de gravações, realizadas pelos próprios alunos. O próximo passo foi a organização dos materiais sonoros, de forma que fizessem sentido em uma narrativa. A construção desse roteiro foi papel das bolsistas, que logo em seguida discutiram o material com os alunos e professores, que fizeram sugestões e esclareceram suas dúvidas. Após a aprovação do roteiro, foi hora das bolsistas entrarem em ação mais uma vez, gravando mais sonoras que integravam a história, e editando em seguida.

O resultado desse grande trabalho em equipe foi um podcast de cerca trinta minutos de duração, que reúne memórias dos alunos, relatos sobre o momento de isolamento social e aulas online, e ainda cenários imaginados para o futuro, através de uma viagem no tempo.

O podcast pode ser ouvido no perfil do programa na plataforma MixCloud. Os meninos e meninas que participaram da produção e locução foram Carlos Daniel Nascimento, João Victor Angelino, Keila Paschoal, Luiz Felipe Da Cruz, Maria Emília De Sousa Silva, Rayssa Campos, Pedro Henrique PaschoaL, além da participação especial da professora Luciana Drumond. Lavínia Torres e Victória Oliveira, orientadas por Karina Barbosa e André Carvalho, também participaram de produção e locução, e a edição foi realizada por Lavínia Torres.            

O Identidades, afetos, cotidiano e memória em Mariana propõe ações para tornar os atingidos pelo crime do rompimento da Barragem de Fundão, em novembro de 2015, protagonistas de narrativas: do lugar, do patrimônio, das paisagens, da(s) história(s), das memórias, das pessoas, do presente, do futuro. Para isso, o projeto oferece meios para que moradores de comunidades atingidas sejam capazes de narrar, verbo-visualmente, acompanhados de estudantes de jornalismo, fragmentos do que podem constituir suas identidades e imaginários, permeados pelo afeto como forma de conhecimento e apropriação de espaços. Já o projeto Memórias do Trauma busca continuar as ações de escavar, resgatar, arquivar e socializar memórias de sujeitos das comunidades atingidas pelo rompimento da barragem. Faz isso ao entender que as narrativas e os resgates de memórias são importantes aliados no processo de reparação do trauma e na reintegração do sujeito ao tempo e ao mundo “normal” após o evento traumático. Ao mesmo tempo, o projeto incentiva o trabalho com novas memórias, diante das perspectivas de futuro dos atingidos e de um presente entretempos, onde estão numa cidade em que perderam os laços com a terra, com o cultivo, com o espaço público e uns com os outros.