Vacinas contra a Covid é o principal alvo de notícias falsas que circulam hoje no Brasil

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Uma pesquisa aponta que 19,8% das fake news disseminadas na internet, redes sociais e aplicativos de mensagens são sobre vacinas.

As vacinas contra a Covid-19 são o principal alvo de notícias falsas que circulam hoje no Brasil. Uma pesquisa feita pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em parceria com o Núcleo de Pesquisa em Jornalismo e Comunicação da Universidade Federal do Piauí (Nujoc), aponta que 19,8% das fake news disseminadas na internet, redes sociais e aplicativos de mensagens são sobre vacinas. O estudo investigou 253 notícias falsas relacionadas à doença, recebidas pelo aplicativo Eu Fiscalizo, entre os dias 26 de março de 2020 e 31 de março de 2021.

.

A principal ferramenta utilizada para a divulgação do conteúdo falso sobre vacinas foi o Instagram (46%), seguido por WhatsApp (24%), Facebook (14%), sites (12%) e Twitter (4%). Entre os conteúdos disseminados estão mensagens dizendo que as vacinas dão reação porque um chip é implantado nos indivíduos imunizados, que as vacinas de RNA mensageiro vão provocar morte em massa entre idosos, que o objetivo das vacinas é matar os seres humanos, que os imunizantes podem causar fibromialgia e Alzheimer e que a eficácia da Coronavac em idosos não foi confirmada pelo Instituto Butantan.

.

Para a pesquisadora Claudia Galhardi, do Laboratório de Comunicação e Saúde da Fiocruz e responsável pelo estudo, essa avalanche de desinformação na pandemia tem dois preocupantes impactos, principalmente: o abandono vacinal e o surgimento dos “sommeliers de vacinas”. “São dois fenômenos que impactam essa desinformação e que precisam ser combatidos, porque, a partir do momento em que o cidadão recebe a primeira dose (da vacina), tem uma reação qualquer e se depara com um conteúdo falso, ele passa a ter medo e não volta para a segunda dose do imunizante recebido”, explica. 

.

Fonte: https://www.otempo.com.br/brasil/vacinas-sao-alvo-de-uma-em-cada-cinco-fake-news-1.2531366