Prefeito de Bh cobra mais vacinas para Minas ao Governo do Estado

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Prefeito de Belo Horizonte questiona amizade entre Romeu Zema e Jair Bolsonaro e lembra da boa relação com Michel Temer.

A amizade entre o governador de Minas, Romeu Zema (Novo) e o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), foi questionada pelo prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSB).

“O governador é amigo do presidente. Então, pera aí: ‘presidente, você é meu amigo, põe dose lá na segunda (maior) população (do Brasil)’, você é meu amigo ou não é?’”, exemplificou o prefeito.

Kalil afirmou que durante o seu primeiro mandato foi conversar com o presidente da época, Michel Temer. “Eu falei: preciso abrir o hospital do Barreiro. O senhor quer ser amigo de Minas ou inimigo de Minas? Temer falou: ‘quero ser amigo de Minas’. Então me ajuda a abrir (Kalil respondeu). Ele (Temer) foi lá e me entregou, nós abrimos em oito (meses). Nove meses estava com 500 pessoas internadas lá dentro”, disse.

O que o prefeito de BH tem reclamado é sobre a diferença da quantidade dos imunizantes enviados à Minas Gerais e também à Belo Horizonte. “Que critério é esse que São Luís recebe lá e Belo Horizonte recebe aqui?”, indagou.

Kalil voltou a revelar que tinha um relacionamento bom com Michel Temer. “Eu usava muito bem isso com o Michel Temer, que me recebia. Cada vez que eu ia a Brasília eu arrancava uma minhoca. Dava uma escavada e arrancava uma minhoca. Nunca voltei de mãos abanando.”