Treze dias após 1ª dose, vacina da Pfizer reduz pela metade risco de infecção

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

A pesquisa do tipo comparativa analisou dados de 503.875 indivíduos que receberam a 1ª dose da Pfizer entre os dias 19 de dezembro de 2020 e 15 de janeiro de 2021 no país.

Mulher segura frasco rotulado como de vacina contra Covid-19 em frente a logo da Pfizer em foto de ilustração 30/10/2020 REUTERS/Dado Ruvic

Um estudo de efetividade da vacina da Pfizer em Israel mostrou que a vacina reduz em 51,4% casos de Covid-19 entre o 13º e o 24º dia após a primeira dose. Esse valor é muito similar à taxa de proteção conferida pelas duas doses da vacina Coronavac, de 50,7%, segundo o ensaio clínico.

.

No Brasil, a imunização completa com a Coronavac é feita com intervalo de 21 a 28 dias entre as duas doses. Já a Pfizer é aplicada com um intervalo de três meses entre a primeira e a segunda dose.

.

O artigo descrevendo o estudo foi publicado nesta segunda-feira (7) na revista científica Journal of the American Medical Association (Jama). O estudo não avaliou a efetividade da vacina da Pfizer após a segunda dose, mas estudos conduzidos nos Estados Unidos e Inglaterra confirmaram a maior proteção, de mais de 90%, da vacina após as duas doses.

.

A pesquisa do tipo comparativa analisou dados de 503.875 indivíduos que receberam a 1ª dose da Pfizer entre os dias 19 de dezembro de 2020 e 15 de janeiro de 2021 no país. A vacina possui registro para uso em toda a população com 16 anos ou mais.

.

Para avaliar a efetividade da vacina, os pesquisadores do Centro de Pesquisa e Inovação do Instituto Maccabi e da Escola de Saúde Pública da Universidade de Tel Aviv compararam a taxa de incidência de novos casos de Covid em dois momentos: entre o 1º e 12º dia após a primeira dose da vacina e entre o 13º e 24º dia.

.

Foram considerados apenas participantes com registro de aplicação da primeira dose da vacina no período estudado e sem resultado RT-PCR positivo para o coronavírus logo antes de receber o imunizante (o dia “zero” do estudo). Indivíduos com dados incompletos na base de saúde nacional ou que se cadastraram somente a partir de fevereiro de 2020 foram excluídos.

.

Fonte: https://www.otempo.com.br/interessa/vacina-da-pfizer-reduz-pela-metade-risco-de-infeccao-13-dias-apos-1-dose-1.2495533