Mariana poderá contar com ambulatório para tratar sequelas pós-covid

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Declaração foi dada após questionamento de uma telespectadora a respeito dos cuidados com sequelas pós-covid.

Na sexta-feira (14), o Jornal Ponto Final realizou uma live com o secretário de saúde do município, Danilo Brito, onde o mesmo respondeu a dúvidas e questionamentos da população que acompanhava ao vivo. Danilo falou sobre vacinas, classificação de comorbidades e sobre a criação de uma enfermaria para atendimento pós-covid.

Perguntado pela equipe de mediadores da live sobre o abastecimento e falta de vacinas no município, Danilo respondeu que existe a possibilidade de faltar doses. “Acredito sim ter falta da segunda dose, uma vez que é público e notório que o Brasil não conseguiu comprar os insumos da China para que Butantan em São Paulo fizesse a produção. Em Mariana fizemos de uma forma diferente, não seguimos a orientação do governo, uma vez que recebemos a vacina D1 e D2, as que nós recebemos garantimos a primeira e a segunda dose. Quando um idoso vai lá e toma a primeira dose a segunda já está garantida. Mas agora o que acontece é que pode faltar algumas doses da D2 mas serão em quantidade mínima. Mas até meados de junho vamos conseguir imunizar grande parte da população”, explicou Danilo.

Líder em questionamentos, a classificação para o que é considerado comorbidade, foi explicada pelo secretário que pontuou 23 itens. “Mais uma vez Mariana saiu de forma organizada. Nós abrimos esse cadastro onde fizemos questão de elencar todas as comorbidades, aí não é pela secretaria é protocolo do Ministério da Saúde e foi feita por faixa etária, desde 59 até 18 anos. Foi feito dessa forma, porque não temos vacinas nesse momento para todos. Sobre as comorbidades, temos listado um cadastro de aproximadamente 25 itens, se a pessoa tiver um relatório ou uma receita contínua quando for chamada para fazer o agendamento será preciso levar essas receitas e/ou relatórios para que possam ser vacinadas se enquadrando entre casos prioritários”.

Questionado pela telespectadora, Luciana Santos a respeito dos cuidados com as pessoas que já passaram pela Covid porém ficaram com sequelas, Brito anuncia a criação de um ambulatório para observar esses casos mais de perto. “Essa doença é ingrata e nós percebemos muito a situação do município hoje pós covid. Vamos criar um ambulatório pós covid. As sequelas estão assustadoras. Nesse ambulatório, todas as pessoas que tiveram covid vão passar por uma série de exames. É claro que iremos separar por casos graves, leves e moderados onde serão triados e nós vamos construir essa linha de cuidado. Nenhum município tem esse protocolo pronto. Vamos iniciar esse processo tão logo. Nós conseguimos uma consultoria da Dra. Janine onde ela já está fazendo esse pós-covid pela Unimed. É importante dizer para a população que vamos ter nesse ambulatório: neurologista, fisioterapia, oftalmologista, fonoaudiólogo, dermatologista, hematologista uma vez que existe muito relatos de queda de cabelo, pessoas com muita dificuldade respiratória, questões neurológicas também e uma outra situação grave em relação a sequela da visão que está muito alta em Mariana. Vamos iniciar esse protocolo com essa série de bateria de exames pós-covid”, afirmou o secretário.

A live se encontra no facebook do Jornal Ponto Final onde você poderá conferí-la na íntegra.