Secretário de Saúde classifica demissões de médicos como Fake News

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Secretário afirma que notícias que circularam em redes sociais, sobre demissões de médicos insatisfeitos não passam de boatos.

O secretário de saúde, Danilo Brito, esteve na redação do Jornal Ponto Final, após solicitação de uma entrevista para esclarecimentos sobre alguns fatos que se sobressaíram nas redes sociais nos últimos dias. Alguns comentários enfatizavam pedido de demissão por parte de médico por insatisfação salarial. Questionado sobre o fato, Danilo classifica como Fake News, e afirma não ser de seu conhecimento tais demissões. “Primeiramente quero dizer que sempre existiu por parte da nossa gestão, hoje com prefeito Juliano Duarte, carinho e respeito não só com os médicos mas com todos os 744 profissionais que temos na saúde e principalmente nesse momento de pandemia estão se duplicando e se reinventado porque não tem sido fácil. Mas quando se fala em médico o assunto é muito complexo porque por trás desses salários, dessas normas e leis complementares, existe todo um processo que passa pela Câmara Municipal que são os vereadores que são responsáveis pela aprovação das leis. Mas quero deixar bem claro para população, no que diz respeito a médico nos estamos falando em ter níveis: atenção primária, especialistas e plantonistas” explicou.

Danilo falou sobre o funcionamento da policlínica em formato 24h e explicou atual estrutura física de atendimentos e investimentos em salários. “É importante ressaltar que a policlínica hoje funciona 24h em três estruturas: na policlínica, na fisioterapia onde fica a internação covid e na odontologia onde é feito o primeiro atendimento aos casos suspeitos e a sala de internação. Para se ter uma ideia, no município de Mariana, hoje nós investimos o valor de 2,4 milhões por mês somente com salários de médicos. Só por aí já conseguimos demonstrar que o município de Mariana, no que diz respeito a atendimento médico, está assistindo a população pode comparar com todas as estruturas da região o número de médicos que nós temos. Cidade nenhuma da região se iguala as nossas estruturas”, pontuou Brito.

Sobre a demissão de médicos insatisfeitos e pedidos de demissões da classe, Danilo é enfático ao dizer que não tem conhecimento e que pedidos nunca chegaram ao seu conhecimento. “Comigo nunca houve. Eu dou liberdade até pelo que foi decidido junto ao prefeito, ao que cada médico realmente recebe. Porque se tratando de terceirização que é o médico PJ, e eu quero deixar bem claro, essa prática de pejotização reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina, reconhece que o Hospital é 100% de Mariana, 100% terceirizado e nós estamos entrado em um consórcio que já estão em 52 cidades. Eu recebi um recomendação de Ouro Preto e Itabirito para participarmos desse consórcio que poderão ser revistos a qualquer momento. Os médicos não estão saindo, porque a imagem que fica é que estamos jogando o salário do médico lá embaixo. Estamos vivendo em mundo de Fake News. A gente precisa entender que essa terceirização por consórcio ela já existe em Mariana.

O termo “pejotização” citado pelo secretário é usado para se referir à contratação pessoal de serviços por pessoas físicas, de modo subordinado, não eventual e oneroso, ou seja, aquela relação que estão presentes os requisitos dos artigos 2º e 3º da CLT, realizada por meio de pessoa jurídica.

Para conferir entrevista completa é só acessar aos canais do Facebook, YouTube e Instagram do Jornal Ponto Final.