Capitã fala das tentativas de homicídios causadas por brigas de relacionamentos

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

A Capitã da Polícia Militar, Marta Guido, também fala sobre outros homicídios e imunização contra a covid-19.

Nos últimos dias a quantidade de tentativas de homicídios, vem assustando moradores da Primaz de Minas, pensando nisso, o Jornal e TV Ponto Final trouxe em sua redação a Capitã Marta Guido, que atua na cidade há mais de vinte anos, para alguns esclarecimentos à população. Marta falou sobre sua experiência na Polícia Militar e a oportunidade de voltar a comandar a cidade. “Tenho 33 anos de Polícia Militar e essa experiência em Mariana é muito gratificante, fui contemplada em poder voltar a comandar a cidade que eu moro que me acolheu tão bem há mais de vinte anos atrás” pontuou.

Perguntada pelo apresentador do Jornal e TV Ponto Final, Rômulo Passos, sobre o quadro atual em que vivemos diante da pandemia, a Capitã explicou que “a Polícia Militar esteve presente desde o primeiro dia até hoje lidando com essa nova situação para todo mundo e também para a segurança pública. Aqui em Mariana, graças a Deus, nós tivemos policiais militares que já passaram pelo covid mas sem gravidade. Em Diogo de Vasconcelos, que também é minha responsabilidade, tivemos um caso de internação mas que já está recuperado”.

Sobre a vacinação, Marta Guido disse que “foi decidido que as forças de seguranças seriam contempladas com a imunização. Na semana passada começamos a imunizar aqui em Mariana a Polícia Militar, Polícia Civil, Guardas Municipais, Agentes e Bombeiros. Eu até agradeço aqui o secretário de saúde e a Ana Paula”, explicou Marta.

Sobre os homicídios ocorridos na cidade nos últimos dias, a Capitã relata que ocorrências foram em contextos diferentes e fala sobre homicídio ocorrido no bairro Cabanas no último domingo (18). “Tivemos nos últimos quinze dias, ocorrências de homicídios tentados. Foram duas tentativas, uma no Rosário e uma no bairro Cabanas. Foram situações que envolveram questões de relacionamentos entre homens e mulheres e mais duas tentativas de homicídio em contextos totalmente diferentes. O homicídio de domingo (18), a autora que já era vítima de violência doméstica, inclusive a vítima tinha um mandado de prisão em aberto por descumprimento de medida protetiva e nessa sequência de acontecimentos, foi até a casa da autora, invadiu a casa dela, teve agressão e ao sair, já na rua, ela então efetuou o disparo com a arma de fogo. Até o ocorrido a Polícia Militar age, após já é a Polícia Civil”, finalizou.