Vereador é ameaçado após pedir requerimento de empresa que presta serviço ao município de Mariana

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

PRAZO:O vereador Fernando Sampaio (PSB), pediu um prazo de 100 dias para que pudesse trazer informações precisas aos colegas do legislativo e consequentemente à população

Na última Reunião Ordinária da Câmara de Mariana do dia 29 de março, após pedido do vereador Manoel Douglas Soares Oliveira (PV) – Preto do Mercado – solicitou requerimento para analisar informações sobre a empresa 3T que presta serviço à Primaz de Minas.

Ao pedir um prazo maior para que fossem analisados todos os quesitos envolvendo a empresa, o líder de governo na bancada dos vereadores, Fernando Sampaio (PSB), pediu um prazo de 100 dias para que pudesse trazer informações precisas aos colegas do legislativo e consequentemente à população.

Não sendo aceito o prazo citado por Sampaio, o vereador Marcelo Monteiro Macedo(MDB) expôs sua opinião contrária ao prazo proposto, e com a palavra revelou ameaça sofrida pelo vereador Manoel Douglas, repudiando veementemente o fato “eu já vi de tudo nessa Casa, mas o direito do vereador ser cerceado é muito feio, em relação ao requerimento do vereador Preto, mas poderia ser qualquer um outro vereador que eu falaria aqui também. Eu não consigo entender o pedido de reprovação desse projeto em questão de prazo de resposta. O projeto ficou uma semana com vista ao vereador Gilberto Mateus porque ele tinha dúvidas e queria esclarecer, é direito dele. Hoje o projeto vem para pauta para ser votado e é reprovado. Muito me chama atenção nesse requerimento e tem chamado atenção da população marianense, porque será que esses vereadores tomaram a decisão de votar contra? Respeito o voto de cada vereador, mas isso chama muita atenção, o que querem esconder? Não estou dizendo dos vereadores, mas alguém quer esconder alguma coisa e eu entendo que essa é uma votação política, não consigo entender a reprovação desse requerimento é sinal que tem coisa muito grave. Essa votação nessa tarde, soou muito estranha e aliás o vereador Preto está sofrendo ameaças. Eu estou tornando isso público porque ele disse em uma reunião que estava sendo transmitida, que ele estaria sofrendo essas ameaças” pontuou Macedo.

Procurado por nossa redação o vereador Preto disse que prefere não se pronunciar ainda, quanto ao fato exposto pelo colega “Quanto ao que o Marcelo levantou na reunião da Câmara sobre as ameaças, eu não pronunciarei no momento, meu jurídico está avaliando quais as medidas a serem tomadas, até para não atrapalhar o andamento das fiscalizações e as apurações que estão em andamento. Só iremos tornar público após orientação do nosso jurídico” explicou.

Sobre a ameaça, o vereador Fernando Sampaio, deixou claro seu repúdio e ofereceu apoio ao colega de bancada “o que eu pedi foi que, se fosse os 100 dias meu voto era favorável, não adianta votar um requerimento sabendo que não terá tempo hábil dentro dos quinze dias para responder. Deixei a bancada a vontade, sou contra ameaças e se houve ameaças ao vereador Manoel eu acho que tem que tomar providências sim, isso jamais pode ocorrer, nós temos que apoiar o vereador, a Casa tem que abraçar ele porque jamais poderemos aceitar intimidação nessa Casa” afirmou Fernando.

Ouvido por nossa equipe de reportagem o ex-prefeito de Mariana Celso Cota, eleito nas urnas no ano passado, pelo MDB e que aguarda decisão jurídica, o mesmo foi enfático e repudiou qualquer ameaça ao legislativo “A sociedade marianense não pode jamais admitir qualquer tipo de ameaça, psicológica, física seja ela qual for, aos nossos cidadãos e se tratando de uma ameaça a um vereador o caso é ainda mais grave, pois ele está no exercício do seu papel representando a sociedade marianense. Tem obrigação de fiscalizar os atos do executivo e não está fazendo nada mais que colhendo informação para passar à comunidade de Mariana. É inadmissível, tem que ser acompanhado e investigado pela Casa e também levado ao conhecimento do Ministério Público. Esperamos que esse tipo de atitude não esteja acontecendo na sociedade política marianense” relatou Celso.

O prefeito interino, Juliano Duarte, pontuou que as ameaças nada tem a ver com o Executivo “o poder legislativo é Independente. Não tenho nada a ver com votação ou ameaças de câmara. Se alguém ameaçou, o ônus cabe ao denunciante falar o nome e provar quem ameaçou” falou Juliano.

Após a Reunião ontem (29) houveram muitas manifestações pelas redes sociais. Nossa equipe de reportagem recebeu através do whatsapp do Jornal Ponto Final, inúmeras mensagens envolvendo o fato. Com o direito de sigilo muitos preferiram não ter sua identidade revelada.

“Pegou a todos de surpresa quando Marcelo Macedo fez esta denúncia. Não podemos deixar acontecer qualquer tipo de ameaças seja ela quanto aos vereadores prefeito, imprensa enfim a nenhum cidadão. Todos temos o direito de expressão sendo responsáveis pelos nossos atos” escreveu um internauta.

Ouvidos por nossa equipe a empresa 3T lamentou o fato e deixou claro não compactuar com ameaças “A empresa 3T lamenta o caso deixando claro que não entrará no mérito, mas que a empresa que é da cidade de Mariana onde tem história, até concorda com críticas construtivas porque a empresa só tem a crescer com isso, mas ameaças jamais aceitaria. Ter opiniões diferente é completamente diferente de fazer ameaças”.

Dentre os comentários enviados, chamou atenção a cobrança de um cidadão à Casa de Leis referente aos carros que prestam serviço aos legislativo sem identificação do órgão “Como cidadão marianense, faço também esse pedido, aproveitando os questionamentos sobre a ameaça, e mantendo meu anonimato por medo de represaria. Falando em transparência, gostaria de pedir aos nobres vereadores. – A divulgação dos nomes dos cooperados com os respectivos equipamentos, uma vez que tem um custo mensal de quase 2 milhões; – e outra também, porque a Câmara não plota os carros onde muitos deles fazem transportes de pacientes para Belo Horizonte; A Câmara não divulga também os gastos da verba indenizatória de cada vereador que custa 13 milhões por ano, aos cofres públicos”

A Câmara, através de seu presidente Ronaldo Alves Bento(PSB), aguarda uma posição do vereador ameaçado, Preto do Mercado, para tomar as medidas necessárias “Não aceito qualquer tipo de ameaça seja ao vereador ou quem quer que seja. Só estou esperando o vereador Preto do Mercado formalizar sua denúncia na Policia Civil e na Câmara para tomar as providencias cabíveis” finalizou.

Ronaldo criou uma comissão para apurar ameaças feitas contra o vereador Manoel.